PRP - Plasma Rico em Plaquetas

Você está em: inicial / Entenda o que é PRP
A+ R A-

Entenda o que é PRP (Plasma Rico em Plaquetas)

E-mail Imprimir

A medicina e a ciência sempre andam juntas, no intuito de proporcionar a melhora da qualidade de vida da população. E quando isso pode ser feito com métodos autólogos (do próprio paciente, sem nenhuma substância sintética) isso é melhor ainda.

Conheça aqui o que é o tratamento com utilização de plasma rico em plaquetas, e como isso pode ajudar nas recuperação das lesões ortopédicas.

O Tratamento com Plasma Rico em Plaquetas é seguro?

Por mais de 20 anos a terapia com uso de plaquetas vem sendo utilizada no mundo por várias áreas da medicina incluindo: cirurgia cardíaca, ortopedia, medicina esportiva, neurocirurgia e área de cosmética, entre outras. Muitos dentistas também utilizam esta técnica em implantes de ortodontia.

Atualmente, o uso do PRP tem sido bem estudado pela literatura médica, e se mostrou seguro desde que utilizado por médico capacitado, com conhecimento na área, utilizando o material adequado.

Como qualquer outro tipo de infiltração que é feita no organismo, apresenta um risco mínimo de contaminação, que é evitado seguindo-se os princípios básicos de antissepsia.

Quando eu vou começar a sentir melhora após a aplicação do PRP?

Depende muito do tipo de lesão que você tenha, mas normalmente nos primeiros dias de aplicação a dor pode até piorar um pouco, pois está sendo gerada uma reação inflamantória no local para propiciar o processo de cura do tecido. Essa dor melhora com a utilização de analgésicos simples (paracetamol, por exemplo, ou dipirona), e vai diminuindo depois do segundo dia de aplicação.

Melhorando o Poder de Cicatrização do seu Organismo

O nosso organismo tem uma ótima capacidade de se curar naturalmente, mas vez por outra isso é dificultado pelas características da própria estrutura lesada.

Toda vez que ocorre uma lesão, uma série de processos químicos leva até o local lesado uma célula imprescindível para que ocorra a cura: a plaqueta. Sem ela, nenhuma estrutura cicatriza.

Em circunstâncias normais, durante a fase de cura dos tecidos, as plaquetas chegam até o local e se unem, liberando os chamados fatores de crescimento, que vão agir para promover a cura.

As plaquetas são muito importantes para que tenhamos a quantidade adequada destes fatores, diminuindo a dor e melhorando a característica do tecido de cicatrização a ser formado.

Como é realizada a coleta das plaquetas?

1. Retira-se uma pequena amostra de sangue (que varia de 10 a 30ml, em média) .

2. Coloca-se este sangue (que está em um tubo estéril) para centrifugação (de 5 a 10 minutos)

3. Após isso, retiram-se as plaquetas, que são injetadas no local da lesão - pode-se ou não utilizar um equipamento de ultrassom, para localizar melhor o local da aplicação

4. O procedimento é realizado com anestesia local, em ambulatório, não havendo necessidade de hospitalização.

OBS - Este processo usa somente o sangue do paciente, não havendo nenhum produto adicional.

Onde pode ser usado o PRP?

O tratamento com PRP pode ser utilizado em diversas lesões ortopédicos, entre elas:

1. Lesões musculares (diminuem o tempo de cicatrização e melhoram a dor após a primeira semana).

2. Rupturas parciais de tendões (promovem a melhora da cicatrização fazendo com que o paciente posse realizar a reabilitação com a dor melhor controlada).

3. Rupturas totais de tendão de aquiles (como auxiliar ao tratamento não cirúrgico) - em alguns casos pode evitar a realização de um procedimento cirúrgico.

4. Tendinites de cotovelo (tennis elbow) - neste caso elas são melhores do que a infiltração com corticóide, evitando a necessidade de cirurgia em alguns pacientes.

5. Tendinites do joelho (jumper’s knee) - melhora da dor e cicatrização em alguns casos onde existe uma pequena área de ruptura.

6. Cirurgias de prótese (joelho e quadril) – vários trabalhos de pesquisa já demonstraram a melhora da dor, mobilidade precoce e o menor sangramento

no pós-operatório quando se usa o PRP junto com o procedimento cirúrgico.

7. Cirurgias de coluna - menor sangramento pós-operatório e melhora da dor.

OBS - Algumas indicações ainda estão sendo estudadas na medicina, e se aguarda a melhor evidência científica para queo seu uso seja considerado um tratamento padrão.

Sempre que podemos evitar uma cirurgia quem se beneficia é o paciente

O tratamento com PRP já é utilizado há cerca de 4 anos, por meio de projetos de pesquisa, sendo o mais importante deles no tratamento da tendinite do tenista (tennis elbow).

Neste período de 4 anos, foi estudada a aplicação de PRP no cotovelo, quando o paciente não obtivesse melhora com outros tratamentos. Todos estes pacientes estudados apresentavam dor há pelo menos 6 meses, e muitos deles tinham indicação cirúrgica para a resolução da lesão.

Do total de 42 pacientes estudados, que necessitavam de cirurgia, somente 5 não

mostraram bons resultados, o que faz desta técnica uma boa alternativa antes da cirurgia.

Referências de literatura:

1. Peerbooms JC et al. Positive Effect of an Autologous Platelet

Concentrate in Lateral Epicondylitis in a Double-Blind

Randomized Controlled Trial: Platelet-Rich Plasma Versus

Corticosteroid Injection With a 1-Year Follow-up Am J Sports

Med 2010 38: 255

2. Lopez-Vidriero, E. et al. The Use of Platelet-Rich Plasma in

Arthroscopy and Sports Medicine: Optimizing the Healing

Environment. Arthroscopy 26(2), 2010

Sua opinião

Como você tomou conhecimento do PRP?

Estatísticas

  • Visualizações de Conteúdo : 89408

Nós temos 2 visitantes online

Cadastre seu E-mail

Email